• 15 dias para trocar /
  • Até 12x no cartão
Meu carrinho
0
Seu carrinho está vazio

Dicas

A CORROSÃO EM CALDEIRAS E COMO EVITÁ-LA

Publicado em 09.02.2023 |
Visualizações
126 visualizações

Você sabia que uma das principais causas de explosão é a corrosão em caldeiras? 

Quando não há medidas preventivas, a corrosão pode representar um dos maiores causadores de ocorrências que comprometem o funcionamento das caldeiras. Por isso, é essencial falarmos sobre a corrosão em caldeiras.  
 
Veja o que é a corrosão em caldeiras, quais são suas causas e entenda quais são as medidas que devem ser adotadas para reduzirmos os efeitos deste problema. 
 

O que é? 
 

Certamente você já notou alguns materiais metálicos que apresentam certo desgaste, porosidade e com uma cor marrom-avermelhada (“cor de ferrugem”). 

Esse fenômeno é a corrosão e ocorre de forma quase que natural. Mas em caldeiras, a corrosão é um sério problema, principalmente pela possível formação de fissuras e redução da espessura das paredes da caldeira. 


A atuação dos elementos corrosivos em caldeiras é “silenciosa” e não detectável pelos instrumentos de operação da caldeira. Além disso, os pressostatos (instrumento de medição ou um dispositivo de proteção) e as válvulas de segurança não impedem essas explosões, uma vez que elas não são necessariamente acompanhadas de elevação de pressão de operação. 

Causas de corrosão: 
 

Internamente aos tubos, falta de tratamento da água e, no caso da presença de oxigênio (O2) e dióxido de carbono (CO2) dissolvidos, devido à má desaeração; 

Externamente aos tubos, pela formação de sais de vanádio (se conter no óleo combustível) que age como catalisadores na criação de ácido sulfúrico a partir de S02. 
 

Já na parte externa da caldeira, a corrosão também ocorre naturalmente por condições atmosféricas. 
 

Principais elementos causadores de corrosão em caldeiras 
 

Aparece de três formas diferentes: localizada, por pite ou alvéolo. Independentemente da variedade da corrosão é preciso identificar quais são os elementos principais desse sério problema. 
 

Dentre estes elementos que causam a corrosão, pode-se citar como mais importantes: 

- pH ácido; 

- Oxigênio dissolvido; 

- Depósitos porosos, complexantes ou quelantes; 

- hide-out ou ocultamento; 

- Com menor frequência, correntes de fuga e choques térmicos. 

- Teores elevados de hidróxido de sódio e de cloretos, causadores da corrosão salina; 

- Presença de cobre e níquel, causadores da corrosão galvânica; 

- Presença de sólidos suspensos e de gás sulfídrico; 

Já a corrosão em linhas de condensado pode ocorrer por conter no vapor, oxigênio, dióxido de carbono, amônia, dióxido de enxofre e gás sulfídrico. 
 

Vemos, portanto, que o oxigênio é o principal agente corrosivo em linhas de condensado. Na mesma concentração que o dióxido de carbono, sua taxa de corrosão é de seis a dez vezes maior. 
 

Medidas para prevenir a corrosão em caldeiras 

Podendo ser uma ocorrência inevitável sob algumas circunstâncias, assim, o melhor meio para reduzir os problemas causadores de corrosão é a prevenção. Vários tratamentos podem ser utilizados para combater esse processo, baseados em: 
 

-Tratamentos externos nas águas de alimentação; 

-Tratamentos internos nas águas de caldeiras. 
 

Tratamentos externos nas águas de alimentação ocorrem através da sua clarificação com agentes e equipamentos adequados. O que é feito nestes tratamentos? 
 

 – Remoção da turbidez, cor e gases; 

 – Retirada de ferro, manganês e de dureza; 

 – Desmineralização;  

 – Remoção de gases. 
 

Já tratamentos internos, são feitos por meio da remoção química do oxigênio por meio de desaeração com sulfito de sódio, com hidrazina e pela neutralização de dióxido de carbono. 

Em caldeiras de baixa e média pressão, os tratamentos podem ser: precipitante – fosfato mais polieletrólito; complexométrico; misto e dispersante. 
 

Já em caldeiras de alta pressão, é preciso trabalhar com água desmineralizada e condensada recuperada com a máxima pureza. 
 

Os diferentes tratamentos internos utilizados em caldeiras de alta pressão são controle de coordenação e de congruente, controle zero sólido e com soda cáustica. 
 

Além disso tudo, a manutenção recorrente e a limpeza deste equipamento são fundamentais para evitar ocorrências mais sérias relacionadas à corrosão. 
 

Além disto, a própria fabricação das caldeiras deve exigir componentes de alta qualidade, como as utilizadas nas caldeiras SECAMAQ, para manter os matérias mais resistentes a corrosão. 
 
Gostou deste conteúdo? Então nos siga nas redes sociais para ficar por dentro das novidades que a Brasil Vapor oferece, também conheça nossos produtos, temos tudo o que sua indústria precisa!

Aceite os cookies e tenha uma melhor experiência em nosso site, consulte nossa Política de Privacidade.